Sobre querer estar em outro lugar.

Hoje, só queria estar em Braga, só queria sentir aquele calor de estar na comemoração de São João, de bater com martelos de plásticos na cabeça de desconhecidos, comer bué de sardinhas à borla (de graça, já não tinha mais certeza do significado dessa…), de poder andar pelas ruas cheias, ver a animação, ver a alegria estampada naquelas faces. Memórias felizes que apertam o coração!

 

IMG_6123.JPG

Intercâmbio, fazer ou não fazer?

tumblr_mjomoniKKJ1rx66q7o1_500_large

Hey, você ai, é, bem você que está em sua casa, acomodada(o), com  aquele emprego que não te faz feliz, com aquelas pessoas que não te acrescentam em nada, deixando os dias passaram como vento.

Acorda pra vida enquanto ainda é jovem, dá tempo! Ou você pensa em viver a vida em um país multicultural no qual a cultura da corrupção não é tão “multi” assim?  Continuar lendo

Como fui parar no país do paixtel de Belém?

VOLTEEEI!

IMG_3348.png

Bom, como eu nunca postei sobre isso, vou falar um pouquinho hoje de como fui para Portugal e explicar direitinho como é o programa e tudo mais!

Para começar eu não sabia NADA de lá, conhecia apenas por ter ouvido falar e das obras literárias (para quem não sabe, no Brasil o curso que eu faço é Letras) apenas Lisboa, Porto e Coimbra! E o resto? Que resto? (rs), acredito que quem não estuda muito bem a geografia ou gosta de viajar também não sabe quais eram as cidades de Portugal nem nada assim, enfim…

Certo dia, em uma aula, uma das professoras da Universidade em que estudava chegou na sala e comunicou sobre o edital que havia sido aberto pela CAPES, do Programa de Licenciaturas Internacionais,  se não me engano era uma quarta-feira e a resposta tinha que vir até a segunda, as informações principais eram: Bolsa Sanduíche, Portugal, 2 anos!

 Minhas condições estavam coerentes com os requisitos básicos, que eram, ter um bom coeficiente, ter estudado sempre em escola pública ou, ter sido bolsista em particulares, e estar no terceiro período de Letras, então resolvi me inscrever, alguns meses depois o projeto foi aprovado pela CAPES e então corremos atrás dos papeis e documentos necessários para a viagem, foi uma correria mas tudo deu certo.

Fomos para lá estudar no curso de Estudos Portugueses e Lusófonos, mas tinhamos algumas matérias em outros cursos. As aulas e o tipo de graduação lá é bem diferente e acredito que seja por fazer parte do processo de Bolonha, que, nada mais é do que 3 anos de graduação + 2 mestrado… Enfim, foi dessa forma que fui para Portugal!!

Mas do que se trata o programa e como ir?

Hoje, na situação que nos encontramos nesse lindo Brasil, o programa não tem sido mais oferecido, porém, o programa se trata de uma ótima oportunidade pois, leva acadêmicos de licenciatura para estudar em uma universidade Européia por um período de dois anos, fazendo da graduação, sanduíche, ou seja, meio a meio. Lá estudamos literaturas portuguesas, gramática e história da língua, teatro grego e latino, mas, para ser sanduíche tivemos que fazer a parte de inglês e suas literaturas aqui no Brasil, assim como os estágios e o TCC.

E agora, dia 19 de março, haverá a nossa colação de grau aqui no Brasil!! Yeeey! Enfim, depois de 5 anos de Universidade, estarei formada em duas Instituições!

E essa foi a história de como fui parar no além mar por dois anos, aah, e com bolsa $ linda, que eu falo mais em um próximo post!

Até o próximo post, e, qualquer dúvidas, comentem aqui em baixo que ficarei super feliz em poder responder!

BEEEIJUX!

Wanderlust.

Hoje acordei com sintomas de saudade!

IMG_2319

Saudade daquele sentimento que havia em mim quando estava chegando em uma nova cidade. Saudade de conhecer o novo, de ver diferentes tipos de casas pela janela do avião. Saudades de sair correndo para a fila do embarque pra conseguir uma janela (quando ainda não era selecionado aleatoriamente). De encontrar brasileiros em todos os cantos do mundo. Saudades das coincidências em viagens, daquela vez que conheci um brasileiro na Áustria e o reencontrei na Polônia, pegando o mesmo vôo. Saudades de se perder e nisso conhecer novos lindos lugares em cidades desconhecidas. Saudades de dividir indicações nos Hosteis com outros brasileiros. Saudades de chegar na cidade nova sem ter dormido nada e com um mapa em mãos andar pela cidade inteira. Saudade de arriscar lugares.

Sinto saudade de comer aquela batata Fritz na Bélgica, de ver aquela paisagem deslumbrante de cima de um dromedário no meio do deserto, de acordar mesmo depois de uma noite passando mal pra poder conhecer mais um pouquinho de Londres, de passar (ou posso dizer morrer de) frio em cima da Torre Eiffel, de tomar um Café pra esquentar, de morrer de calor no Leste e ter de dormir com as pernas mais altas pra desinchar, de tomar Magnum pra gelar, de ficar esperando o tempo passar em frente a Duomo de Milão, ou na estação de Veneza, dos Mc Donalds que salvam os viajantes, das chuvas que me ensoparam em dias de frio, saudade do suco do La Boqueria, de sentir a brisa da praia de Barceloneta, de uma boa Paella, das histórias, dos tombos, das festas, das bebedeiras, das brincadeiras com o grupo nas viagens, de preparar roteiro, dos quase furtos e das multas, de tudo que contribuiu para que houvesse história.

Saudade de ter novas histórias. E de Portugal, não é justo e nem possível sentir saudade apenas de uma ou duas coisas ou sensações…

E para descrever todas essas saudades, essa vontade de ter novas histórias, não há palavra melhor que essa:

Wanderlust, ou em português, “desejo de viajar”, é um termo que descreve um forte desejo de caminhar, de ir a qualquer lugar, em uma caminhada que possa levar ao desconhecido, a algo novo, de viajar.

E vocês, tem saudade de que??

Beijo, beijo.

Ale Ale, Marrocos!

Oolá olá pessoas lindas!

Hoje resolvi escrever um pouquinho da viagem que rendeu a mim as fotos mais lindas que tenho!

Este post irá servir como dica para quem quiser visitar o Marrocos de uma forma econômica e bem proveitosa, a empresa Meeting Point tem um roteiro muito bom, que descreverei pra vocês aqui, e qualquer informação é só entrar em contato com o Humberto, mas quem quiser se aventurar em alguma viagem particular aqui vão alguns lugares que visitei! 🙂

Bom, a primeira parada foi a cidade de Marrakech, conhecida também por cidade vermelha devido a quantia de construções feitas com pedra vermelha, a cidade toda tem somente essa cor.

Dividida em cidade nova e cidade antiga (Almedina), tanto uma quanto a outra são ricas em cultura mas visitando a Medina você consegue saber o que é realmente a cultura árabe e ainda pode ter uma idéia do que se tratava a  Medina  que a Jade expunha a figura na novela O Clone! (rsrs)

Continuar lendo

Apenas uma reflexão de quarta-feira a tarde.

IMG_9432

De tempos em tempos fala se muito em fim do mundo, no ano 2000, 2012… e por ai vão as superstições, muitos acreditavam que os Maias estariam certos e viram essa crença ir embora.

Eu, particularmente, acho que sim, que o mundo ta acabando, mas não de um dia para outro como era suposto ser e sim ano após ano, desmatamento após desmatamento; ganância, poder e dinheiro valem mais que o VIVER bem.

Ter vivido fora do Brasil me fez refletir sobre o modo de viver pois lá é comum as pessoas utilizarem o salário do fim do mês pra viajar, conhecer cultura nova, crescer o ser. Diante de todas estas greves que estamos passando agora no Paraná e no Brasil, onde professores são tratados com menosprezo e até desprezo por alguns, é possível perceber que realmente, muitos brasileiros vivem pelo dinheiro e apenas isso! (revoltante)

Tudo é voltado ao dinheiro, a partir do momento que você poe o pé fora de casa você gasta dinheiro. Muitos não vivem e sim sobrevivem! Como seria diferente se mais pessoas fossem bondosas e re-tivessem aquela inocência de uma criança, focando a vida no ser e não tanto no ter, no fazer o bem sem olhar a quem.

Só acho que da maneira que está, onde a natureza é algo visto como algo muito valioso ($.$) (poucos ligam com o aquecimento solar que vem aumentando dia após dia) e o valor das pessoas que tem o papel de ensinar, de formar e construir bons cidadãos é muito baixo, a propensão ao decaimento está cada vez mais próxima.

Se a vida fosse pelo menos mais aproveitada e respeitada… creio que o futuro tinha uma possibilidade de ser um pouco melhor!

#Brunarevoltada! haha